Composição e producão musical por Guache

 

Texto de Mariano Marovatto

 

Gravado e mixado por Gil Fortes

 

Gil Fortes: Baixo VI, ruído branco e microfonias

Luciana Melo: Guitarra, percussão e microfonias

Vozes de Mariano Marovatto e Luciana Melo

 

Capa por Guache

Imagem de capa por Raïssa

O estirâncio é a marca d’água presente na areia da praia, onde bate a onda, até onde a maré chega. É uma paisagem irremovível, eterna, mas de maneira nenhuma estática. Da mesma forma, o Estirâncio, de Mariano Marovatto, embora seja poesia, move-se página a página, numa prosa serena que beira o onírico. Entra em cena então, o Guache. Formado por Gil Fortes e Luciana Melo, o duo costuma se definir com essas palavras: “impermanência, pluralidade de papéis, anomia, errância, improvisação, divagação, sons em camadas desviando para o não lugar.” Dos encontros musicais entre Guache e Marovatto em 2019, surgiu a ideia de transpor o Estirâncio para o mundo dos sons e ruídos. Tendo a voz de Mariano como guia (acompanhada em determinado ponto pela voz de Luciana), o duo, ao longo da faixa, desenvolve texturas sonoras únicas, criadas pelos instrumentos construídos por Gil Fortes. As sobreposições de tais texturas com as vozes que guiam o ouvinte pelo Estirâncio, paulatinamente vão mudando de papel: ora ganham autonomia, ora cria subtextos, ora transformam-se em narradores. Ao final da experiência, a paisagem sonora que foi criada ao longo dos 14 minutos apresenta a totalidade dos seus contornos para o ouvinte, muito claros, mas fugidios, da mesma matéria do delírio de seu texto original.